Olá Jundiaí, o Instituto Nacional do Câncer (Inca) estima que existam 6.260 novos casos de melanoma no país. Entre elas, as mulheres são 3.340 e os homens, 2.920. Segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), o melanoma ainda é uma vítima masculina, apesar da alta incidência de mulheres. Uma notícia boa é que o plano de saúde em Jundiaí fornece vários medicamentos para o tratamento do melanoma. Portanto, para aqueles com seguro de saúde, ficou mais fácil reverter essa situação. Por isso, Descubra se o plano de saúde cobre tratamento para Melanoma!

Descubra se o plano de saúde cobre tratamento para Melanoma!

Descubra se o plano de saúde cobre tratamento para Melanoma!

Aprendemos na escola que a pele é o maior órgão do corpo humano. A pele é composta basicamente de duas camadas – epiderme (superficial) e derme (profunda) -, a pele possui 3 tipos de células. As células escamosas são as da epiderme. Eles são planos e finos. As células basais são redondas e localizadas abaixo das células escamosas. Existem também algumas células que produzem melanina, o que dá à pele uma cor natural.

Os chamados melanócitos da pele permanecem na derme. Quanto mais vezes eles são expostos à luz solar ou à luz artificial, mais pigmentos (melanina) produzem, o que torna a pele mais escura. Por sua vez, a melanina tem grandes funções, além de descolorir a pele, cabelos e olhos. De fato, seu papel mais importante é proteger nosso DNA dos efeitos nocivos dos raios solares.

Quando há um problema com os melanócitos, ocorre o melanoma, que é um câncer de pele maligno. A doença pode se desenvolver em qualquer parte do corpo, mas é mais comum no rosto, pescoço, braços, pernas e tronco.

Embora seja o tipo menos comum de câncer de pele, apenas 4% ocorre, mas é o tipo mais grave. O melanoma tem uma grande capacidade metastática e pode se espalhar para outras partes do corpo. Tem uma alta taxa de mortalidade, mas a chance de ser diagnosticada em um estágio inicial pode chegar a 90%.

Plano de saúde em Jundiaí

Segundo os incas, o melanoma domina os adultos brancos, mas também pode afetar pessoas de outras raças. A doença é dividida em várias categorias de acordo com a incidência.

O convênio médico em Jundiaí forneceu ampla cobertura para o tratamento do câncer. No entanto, o maior obstáculo para os pacientes com melanoma é que eles devem pagar pelo tratamento médico. Ou seja, até janeiro de 2018, o operador pode cobrir terapias e procedimentos, mas não os medicamentos.

Portanto, após a revisão da lista de procedimentos mínimos obrigatórios da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), 18 novos medicamentos foram incluídos, e esses novos medicamentos devem ser incluídos no plano de saúde. Destes, 8 são utilizados no tratamento do câncer.

Veja maiores informações

Se você tem dúvidas sobre a cobertura do plano médico em Jundiaí entre em contato com os nossos corretores. Ele é a melhor pessoa para fornecer todas as informações e orientações necessárias para ter seus direitos.

Descubra se o plano de saúde cobre tratamento para Melanoma!